sexta-feira, 24 de novembro de 2017

LAUDO DO IML COMPRAVA QUE PROFESSORA QUE SOFREU ESTUPRO ERA VIRGEM.

O advogado da professora Amanda Goulart, de 27 anos, que denunciou um motorista da Uber por estupro, em Curitiba, afirmou que o resultado do laudo do Instituto Médico Legal (IML) comprova que ela era virgem. Edson Facchi diz que o laudo comprova o ato.
O exame do IML, divulgado na segunda-feira (20), confirmou que houve conjunção carnal. De acordo com o laudo, a resposta para a pergunta sobre se houve violência ficou prejudicada.
"O ponto principal é que aponta que ela era virgem. A versão que talvez possa haver de que ela consentiu no ato, não é crível", avalia Facchi.
O advogado ressaltou ainda que "com 27 anos de idade, virgem, com uma vida regrada, ninguém acorda do dia pra noite e resolve viver uma vida desregrada, fora disso. Ainda mais em uma corrida de Uber, como ela já havia voltado para casa antes".
A Delegacia da Mulher, que investiga o caso, não se pronunciou sobre o resultado do exame. Conforme a Polícia Civil, o caso está em andamento. O motorista não foi preso e não há mandado expedido contra ele, segundo a polícia.


Após o registro do boletim de ocorrência a professora saiu da cidade por razões psicológicas, de acordo com o advogado.

G I  - PR.

Nenhum comentário: