domingo, 18 de março de 2018

PROFESSOR CRIA SAPOS DE ESTIMAÇÃO EM CASA E OS ALIMENTAM COM RAÇÃO PARA GATOS.

Um professor de Natal cria cinco sapos de estimação e os leva para aulas práticas de biologia e ciências da natureza em três escolas da capital potiguar. Os bichos têm nome e comem ração de gato. O criador posta fotos dos anfíbios em redes sociais, inclusive, como na imagem acima, em que os sapos estão acasalando.
O professor Paulo César Oliveira, de 36 anos, conta que cria sapos há oitos anos, quando chegou para morar na casa em que reside atualmente, e encontrou os bichos no quintal. A partir daí, o biólogo fez um lago no terreno e um tanque com peixes. Os dois espaços criaram um ambiente favorável para os anfíbios, que foram se adaptando com a presença humana e de outros animais.
Hoje, os sapos vivem junto com 11 gatos, dois cachorros, cerca de 2 mil peixes dentro de um tanque, e outros animais que aparecem pelo quintal, que o professor define como um “verdadeiro ecossistema”.
“A domesticação foi acontecendo naturalmentente. Atualmente tenho cinco sapos e eles vivem bem comigo, gatos e cachorros, e comem a ração dos felinos, além de insetos. São todos bem gordos”, disse ele.
Paulo César dá nomes aos anfíbios e afirma que consegue reconhecê-los. “Tem a Tina, Tana, Beto… Reconheço eles pela coloração, tamanho e estampas de cada um. Mas os machos, que são mais difíceis de identificar, chamo a maioria de Caco”.
Professor cria sapos em casa e os alimenta com ração para felinos (Foto: Paulo César )
O professor relata que o cheiro dos sapos e da água do tanque atrai outros anfíbios da redondeza, que chegam a “pedir” para entrar na residência. “Alguns, ao tentar entrar, fazem um grande barulho no portão, aí eu penso que é alguém. Mas quando vejo, é um sapo querendo ir pro quintal”, afirma.
Mas a relação com os sapos nem sempre foi harmônica. “Durante a infância eu matava. Aprendi que tinha que meter sal e matar mesmo. Aí estudando biologia eu comecei a me conscientizar”, relembra o biólogo.

Aula com sapos

Atualmente o professor leva os sapos para aulas práticas de biologia e ciências da natureza, em que os alunos podem observar o comportamento da éspécie e a contribuição deles para o meio ambiente.
Professor Paulo César com alunas durante aula prática com os sapos (Foto: Divulgação/Paulo César )
“Essas aulas são muito importantes para a gente aprender mais sobre os animais. O professor traz os bichos, leva a gente para o laboratório. Mas eu não peguei nos sapos”, disse o estudante João Erick Alves, que faz o 9º ano do ensino fundamental.


Paulo César também leva para as aulas peixes e plantas, que são cultivadas em seu quintal e armezenadas em recepientes feitos com materiais reutilizados. “Sempre depois das aulas distribuo as plantas e peixes para os alunos interessados”, finaliza o professor.
G1RN

Nenhum comentário: